Imprensa Notícias
Fonte: Assecom

Sábado dia 12 tem Dia D de vacinação trivalente; contendo os vírus H1N1, H3N2 e Influenza B

08 de Maio,2018

No dia 12 de maio será o dia D. Todas as unidades de saúde estarão atendendo das 08 às 16h. Se você enquadrar no público alvo, procure a unidade de saúde de sua área de abrangência, leve o cartão de vacina.

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também podendo causar pandemias. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Em 2018, o Ministério da Saúde, por meio da coordenação-geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, lança a 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, no período de 23 de abril a 01 de junho de 2018, sendo 12 de maio, o dia de mobilização nacional. A vacina e trivalente contendo os vírus (H1N1), (H3N2) e Influenza B (Phuket/3073/2013).

No município de Barra do Bugres a vacina esta disponível nas unidades de saúde. A meta e vacinar 6.355 pessoas, no entanto, o Ministério da Saúde tem liberado as vacinas em quantidades fracionadas aos municípios, (grande produção, falta de estoque) mas garante que ate o dia 12 de maio todo o estoque será entregue aos municípios.

No dia 12 de maio será o dia D. Todas as unidades de saúde estarão atendendo das 08 às 16h. Se você enquadrar no público alvo, procure a unidade de saúde de sua área de abrangência, leve o cartão de vacina.

A Campanha Nacional de Vacinação será realizada com definição de grupos prioritários para receber a vacina.

4.1. Objetivos

Reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza, na população alvo para a vacinação.

4.2 Grupos prioritários para a vacinação: ü Crianças de seis meses a menores de cinco anos: todas as crianças que receberam uma ou duas doses da vacina influenza sazonal em 2017, devem receber apenas uma dose em 2018. Também deve ser considerado o esquema de duas doses para as crianças de seis meses a menores de nove anos de idade que serão vacinadas pela primeira vez, devendo-se agendar a segunda dose para 30 dias após a 1ª dose.

Gestantes: todas as gestantes em qualquer idade gestacional. Para o planejamento da ação, torna-se oportuno a identificação, localização e o encaminhamento dessas para a vacinação nas áreas adstritas sob responsabilidade de cada serviço de saúde dos municípios. Para este grupo não haverá exigência quanto à comprovação da situação gestacional, sendo suficiente para a vacinação que a própria mulher afirme o seu estado de gravidez.

Puérperas: todas as mulheres no período até 45 dias após o parto estão incluídas no grupo alvo de vacinação. Para isso, deverão apresentar documento que comprove a gestação (certidão de nascimento, cartão da gestante, documento do hospital onde ocorreu o parto, entre outros) durante o período de vacinação.

Trabalhador de Saúde: todos os trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade.

Professores: todos os professores das escolas públicas e privadas que estão em sala de aula.

Povos indígenas: toda população indígena, a partir dos seis meses de idade.

Indivíduos com 60 anos ou mais de idade deverão receber a vacina influenza.

Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas deverão receber a vacina influenza.

População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independe da idade, (conforme indicação do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas), (Figura 3).

A vacinação deste grupo deve ser realizada em todos os postos de vacinação. No entanto, mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacinação.

Pacientes já cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem se dirigir aos postos que estão cadastrados para receberem a vacina. Caso no local de atendimento onde são atendidos regularmente não tenha um posto de vacinação, devem buscar a prescrição médica na próxima consulta que estiver agendada, visando garantir esse documento com antecedência, para evitar filas no período da vacinação.

Pacientes que são atendidos na rede privada ou conveniada, também devem buscar a prescrição médica com antecedência, junto ao seu médico assistente, devendo apresentá-la nos postos de vacinação durante a realização da campanha de vacinação.

Figura 3. Categorias de risco clínico com indicação da vacina influenza sazonal. Brasil 2018. Categoria de risco clínico Indicações

Doença respiratória crônica = Asma em uso de corticoide inalatório ou sistêmico (Moderada ou Grave); DPOC; Bronquiectasia; Fibrose Cística; Doenças Intersticiais do pulmão; Displasia bronco pulmonar; Hipertensão arterial Pulmonar; Crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade.

Doença cardíaca crônica = Doença cardíaca congênita; Hipertensão arterial sistêmica com comorbidade; Doença cardíaca isquêmica; Insuficiência cardíaca.

Doença renal crônica = Doença renal nos estágios 3,4 e 5; Síndrome nefrótica; Paciente em diálise.

Doença hepática crônica = Atresia biliar; Hepatites crônicas; Cirrose.

Doença neurológica crônica = Condições em que a função respiratória pode estar comprometida pela doença neurológica; Considerar as necessidades clínicas individuais dos pacientes incluindo: AVC, Indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla, e condições similares; Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular; Deficiência neurológica grave.

Diabetes =Diabetes Mellitus tipo I e tipo II em uso de medicamentos.

Imunossupressão = Imunodeficiência congênita ou adquirida Imunossupressão por doenças ou medicamentos

Obesos = Obesidade grau III.

Transplantados = Órgãos sólidos; Medula óssea.

Portadores de trissomias Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Sídrome de Wakany, dentre outras trissomias.

Fonte: Ministério da Saúde